quinta-feira, 26 de junho de 2008

Minha Terra de Gigantes.

Atirar pro mesmo alvo
Sem saber atirar;
É burrice, é burrice...

Há muito tempo;
Muito pouco há de tempo nisso,
Chorei para resolver os meus problemas;
Foi burrice, foi burrice...

Se eu não fosse eu, seria o quê?!
Se fosse o quê, seria qual?!
Qual o quê?!
Qual que há?!
Há sentimento nisso.
Eu faria parte?
Seria balela, é balela, foi balela...

As pessoas são o que são.
Você é o que é e eu sou o que sou;
Não mude;
Não surde;
Não cegue.

Aceite.
Respeite.
Transcende.

Mantenha seus príncípios e indícios
Perante as sentenças de cada cabeça
Mas saiba que a sua verdade é só sua;
E a do Fulano não é a mesma que do Siclano!

As pessoas são o que são:
Umanos que Herram
mas escondem que Herram.

Humano é aquele que erra;
Erra o quanto for;
Até um dia aceitar ;
Até um dia se achar.
E se fixar em terras de Humanos e Umanos...

Nessa tal terra de Gigantes...

Um comentário:

Maria Zizi disse...

nossa.. parabéns! adorei esse texto! vou visitar seu blog diariamente, e espero que veja novas obras (verdadeiras obras)como esta. parabéns, mais uma vez! :}