domingo, 1 de março de 2009

Torre

Chega, nunca foi amor.
Nunca foi verdadeiro, nunca fez bem... Ainda não passou.
Justo quando sua vida está certinha, volta e abre aquela chaga... Chega.
Nenhum coração suporta se enganar tantas vezes.
Nenhum olho se enobrece chorando.
Desculpas: era isso que deveria ser dito
E um adeus em até breve em seguida.
Quando se perde a confiança no ser, pano quente não cobre.
Não dá para rir o riso justo de velhos amigos...
Somos o que deixamos nas pessoas
E no meio do peito não há uma pedra e sim um espelho
Limpo e sem marcas de dedos...


Jordana Braz

6 comentários:

Claudia Bittencourt disse...

"...abre aquela chaga... Chega." Gostei! =)
Caracas, muito foda!
Não estou certa de que nenhum olho se enobrece chorando, o problema é quando eles só choram e não conseguem voltar a sorrir... =\

Beijo!

♫Pri disse...

Nossa querida!!!

parece até que tá virando cliche de minha parte mas vc está cada dia melhor!!

com quantos anos vc come~çou a escrever?

já pensou em publicar um livro?

bjo

Nathália Monte ;D disse...

"Nunca foi verdadeiro, nunca fez bem... Ainda não passou." e tu abriiu uma chaga agorinha[me fez lembrar coisa q tento esquecer!!:'(]
essa vida..beijO perfeita como sempre..

♫Pri disse...

Temos mto em comum mesmo.
Também fui uma adolescente de poucos amigos. Escrevi mto mas não poesias, estava mais pra prosa, começei um diário aos 12 anos e até hj escreve algumas memórias. se bem q o blog anda substituindo o velho amigo...Mas não há nada melhor que caneta e papel né??

Mil bjos querida.

O lado quente do ser disse...

Ó.T.I.M.O.
SUTIL E TRANSPARENTE

.:Bruna Malaquias:. disse...

Isso tudo são verdades inconvenientes.
A gente quando fica apaixonado, fica tão insensato..um mundo inteiro se abre; se fecha.
Tenho um blog onde escrevo em pseudônimo. É a Malu. Uma mulher difííícil..
http://prosasempoesia.blogspot.com