sexta-feira, 5 de junho de 2009

Estrela cadente

A pessoa mais bonita do mundo...
Ela jamais pensará que na sua simplicidade há beleza:
Nasceu com ela, desde os fios de cabelo,
Nas veias descendo o corpo até os pés.
É no brilho dos olhos, é no toque da mão, respiração...
Queria eu ser tão bela assim...

Vê nos tijolos quebrados sua casa,
Sem constrangimento nem nada;
Não esconde os oito irmãos, não renega sua mãe
E demonstra respeito ao pai caído bêbado no chão.
Quem tem família, tem tudo.

A pessoa mais bonita do mundo acorda
E não escova os dentes.
Pensa primeiro: "O que será de nós hoje?"
O 'mim' não conjuga verbo nem na vida
Sofrida, sofrida e bonita como ela.
Quem dera eu conjugar a vida tão bem assim...

De brejeira à favelada;
Talvez seja ela aquela com o cabelo maltratado,
Encardida, mal vestida, encolhida... Linda!
A pessoa mais bonita que já vi não nasceu para as passarelas,
Nasceu simples dentro do coletivo pobre
E pobres daqueles que não se dão a chance de observar
O brilho de seus olhos:
O sutil brilho professor desses olhos que já viu de tudo um pouco
E que ainda brilha como se fosse uma chuva de estrelas cadentes.


Jordana Braz

4 comentários:

Claudia Bittencourt disse...

Lindo. :)
Pena que a sociedade valorize tão pouco essas pessoas belas.

Beijos :*

Paloma. disse...

Eu costumo conhecê-las nos de repentes da vida! É incrível! :D

Rosa Canela disse...

Oi Jordana ...pois é conheci ua destas pessoas e como me fez e me faz bemm ai ai ^^ ...lindo seu texto ... bjinhus

Caroline Arlochi disse...

INCRIVEL!!!
Lindo texto, meus parabens!




Caroline Arlochi