domingo, 9 de agosto de 2009

Nota para a lua

Não há poesia, não há verso; existe apenas música. Eu o sinto pela audição. Sinto como uma canção em voz feminina com notas de Mpb. Bem brasileiro com nome siciliano. Uma tarantela com passos de samba. Confuso e contraditório. Não sei onde começa meus pensamentos infinitos sobre um reencontro. Não sei ainda como encontrei base para assumir palavras em primeira pessoa. Por que interesse em um ex colega de sala que nunca dividi um recreio junto? Não dividia recreios. Passei a dividir intervalos pelos corredores da escola anos depois e graças à meu nome diferente, fiz-me um cisco em olhos verdes... Ah! E como eles são lindos sob lua cheia... A mesma que ele me mostrou. Não havia percebido a graciosidade da lua, ainda mais quando ela se fez bela na noite do meu aniversário! Seus sinceros olhos verdes foram os primeiros a me mostrar a lua quando cheia.

Jordana Braz

Um comentário:

Mirelle disse...

lindo JÔ!
vc é foda...escreve mto!PARABÉNS...fiquei tda orgulhosa por vc!
bjim