sábado, 23 de janeiro de 2010

Segunda chance

Um dia posso ter esboçado uma compaixão. Vi que por mais tranquila que minha mente estivesse, o olhar no rosto e dizer bom dia ainda me amendrontava. É ruim olhar para aqueles que já lhe fizeram ter um espinho encravado no peito, algum dia, e sempre que achamos que já passou, volta aquele sentimento. Nada muda. É um perdão que traz paz para a mente mas amedronta o olhar. Talvez a vida seja visual, até mesmo para os cegos que possuem os olhos da alma, o que considero o verdadeiro olhar. Esses mesmos olhos que enxergaram sua insconstância à distância. O papel de carta possui no email seu espelho em outra época e todos aqueles bilhetinhos amassados deixaram para os recados offline no msn e scraps, toda carga sentimental e a sensibilidade de perceber pela letra, o tom de voz. Uma segunda chance foi tão iluminada para um poço tão pequeno, que clareou demais ao ponto de perceber o quanto eu te sinto. Me incomoda saber que não te tiro mais o sono, que o seu vazio de gostar demais não foi provocado por mim. Escuto suas lamúrias como uma amiga que já passou por isso e me calo para não ouvir de dentro que o meu vazio era pela sua falta. Homem, você não sabe o quanto eu te amo! Já te joguei às margens do que existe de cruel, canalha, puto... Já te odiei com a força de alguém que ainda tem esperança e talvez, a compaixão tenha vindo disso. Te percebo com seu mau-humor diário, com a inconstância do seu signo, cedo uma parte minha que fica latente ao seu nome e que cai na realidade quando percebe que você ainda é o mesmo, só que com outra. Eu aceito isso como algo natural da vida, não como minha verdade. Estarei sempre amarrando a minha verdade, pois ela soa ilegal por tanta honestidade. Uma obsessão que beirou à insanidade. Não vou colocar a perder o muro que construi com tanto zelo e cimento, agora.








Jordana Braz

Um comentário:

Magda Castro disse...

como sempre otima. Queria tua permissao para q eu colocasse esse texto no meu blog, com crditos é claro.Minhas amigas adorariam. ;)
e ai?