quarta-feira, 21 de abril de 2010

Calçado bordô

O cabelo mais lindo é o de Lucinda, sim, não há quem não resiste em tocar em seus cabelos crespos. Ela desfila com tanta leveza sobre suas sapatilhas bordô, segura a saia para que não voe e deixe à mostra seus pares de coxas, morenas. Charme que ela imita de musas em preto e branco em plena década de cores, Lucinda transmite cores pelo sorriso, cores de Carmem Miranda, mas se define como alguém sem cor, monocromática. Há algo por trás de tanta confiança, que não seja uma confiança em terra. Nela existe uma timidez velada , cores falsas, uma fala baixa que seduz mas gaguejada por vezes e Lucinda é uma farsa. Um mito de mulher segura que por fora é dengosa mas em casa, passa noites sozinhas, com a boca comendo para engolir frustrações. Que diacho de mulher boba, seria mais fácil assumir que é uma perfeita Loser, beirando os 24 anos e que ainda sente medo do não, seja ouvido ou falado para ela e por ela. Uma desiludida consciente, não vê graça em mãos dadas, não entende planos de vida e só segue porque acorda sempre viva. Lucinda é uma grande mentira, menina. As portas sempre se fecharão e para ela, só restarão as janelas. E que ela seja esperta e não fique só olhando para baixo e para os lados. Caso precisar, desejo que pule. O que vale é que ela não seja sua própia mentira. Lucinda é tão bonita que poderia ter noites mais febris, com homens mais gentis e com ela mais feliz. Ela é um universo tão único quanto qualquer um, deveria viver e deixar acesa sua verdade. Queria eu um dia parar Lucinda pela rua e dizer:" Lucinda, desmascare o conceito que você possui de felicidade. Não saia com alguém por pena, no final será você a digna de pena. Não invente fórmula que irá mudar as coisas, tudo é como deve ser e a mutante só será você. Guarde seus sonhos só pra si e se permita apenas acreditar naquilo que te toque, na pele ou na alma. Seja você, Lucinda, sua única amiga, não finja só segurança, acredite que o amor só existe se for de mãe e o própio. Não engane o mundo só porque crê que a vida é só feita de mentira, sua desilusão são com pessoas, mas não com todas que vivem por aí... no mundo. Haverá sempre alguém no mundo que vai te adorar não apenas pelo seu cabelo, mas também pela sua monocromia como ser. Agora continue seu trajeto com seu calçado bordô". Num fim de tarde qualquer, onde a mente pede bar e o corpo pede cama, eu a paro só para dizer isso.






Jordana Braz

2 comentários:

Madame Amarante disse...

LINDO!!!
ñ posso, nem ouso, dizer nada mais.

Xisnigami disse...

Incrível como você me descreveu, sem mesmo saber da minha (d)existência. hehe