terça-feira, 30 de novembro de 2010

(Sem assunto)

Qual será a minha sorte, se eu ficar nessa cidade, já que socializar sempre foi sinônimo de tédio.
Descobri que pessoas não possuem identidade, são apenas figuras repetidas e minha nova mania é perguntar ao vento se o rumo que ele segue, será a direção que me levará para algum caminho que me faça de amor novamente.

Não existe mais paixão,
não há mais nada que eu deseje do fundo da minha alma, tornar-se parte de mim.
Não há sentido dizer bom dia e sorrir para quem quer que seja,
está tudo muito chato, tudo muito igual,
talvez porque ainda dentro de mim ecoa ilusão.




Jordana Braz

Um comentário:

Luciana Gomes disse...

Bem profundo. Traduz um pouco do que venho sentindo, coincidentemente. Parabéns pelo blog.