domingo, 14 de agosto de 2011

Arte é três pontos

Enquanto todos querem ser artistas, eu só quero ser normal. Escrevo apenas por escrever, é tanta coisa dentro de mim desorganizada que só escrevendo para começar a ter alguma forma. Citei forma como sinônimo de sentido pois a forma em si é o que menos me preocupa. Hipócritas são aqueles que começam um curso de humanas, em especial letras, e já carregam no peito um brazão " discípulo de Manuel Bandeira" ou " Novo Leminski ou Lispector". Engraçado que isso se aplica para uma parte da sociedade que acha que referência e reprodução são as mesmas coisas. Ignorante eu fui quando pensava que seguir aqueles que admiro seria um ato de falta de personalidade pois seria como me esconder atrás dos grandes feitos dos outros. Na verdade, hoje sei que para se obter alguma luz criativa, é necessário conhecer inúmeras boas fontes e á partir de então, seguir teu rumo à sua maneira. Vejo um lance meio familiar com as referências: é sadio olhar um rosto e ver traços de quem foi seu avô, seu pai, seu tio e etc. Algo que ultrapassa a tradição. Nunca fui boa reproduzindo e tanto que descobri que a falta de graça quando cito algo que foi engraçado tem a ver com isso. Não sei reproduzir como o que foi de verdade, reproduzo no meu ritmo. Enfim, acho que a reprodução é um dom porém as pessoas não respeitam a quem elas são e o que são suas origens quando reproduz algo ou alguém. Reproduzir tem hora e local para ser colocada em prática. Tem gente que pratica a arte da reprodução durante a vida inteira. Isso eu acho triste.





Jordana Braz

Um comentário:

Iolanda disse...

Linda colcha de retalhos essa sua. O nome da lojinha também é sugestivo. Bjs.