domingo, 21 de setembro de 2008

Ao avesso

De quem mais espero um afago:
Nem um lado
Um recado
Um agrado.

E de quem menos quero por perto:
Um abraço fraterno
Um sorriso aberto
E todos os sentimenos trocados, ao avesso.

Jordana Braz

3 comentários:

disse...

Creio que sobreviver seja ainda mais fácil quando se mantém a paixão. Como combustível, oxigênio, matéria-prima de respirar.

Mas tudo... Tudo é uma questão de sorte.

=)

E aliás, o avesso nem sempre é o contrário. Pode ser o certo e quem tá de cabeça pra baixo é a gente.

egoscompostosanfipaticos disse...

sublime, perfeito.
Não se esqueça de que avesso é relativo, vai ver quem está ao contrário é você!!!
;)
Abraços...

disse...

Então! Isso é romantismo aplicado. Quando a gente bate com a cabeça e tropeça em qualquer pedregulho, isso muda. Daí o realismo muda tudo.

Mas é um ciclo. Sem fim, acho.