sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Aviso ao inquilino

Inquilinos sentimentos
Aluguei à vocês meu corpo
Minha mente é a sala de estar
E o que cobro é apenas zelo.

Mas há sempre um aluguel em atraso
E isto é mais um aviso:
Caro inquilino saudade
Você me habita, não me paga e me destrói.

Primeiro me tirou o sono,
Depois fez dos meus olhos, fontes de lágrimas
E hoje você nem sabe
O por que ainda me habita.

Te cobrar ainda me resta.
Para os danos causados não há reparos
Mas impede que o último alicerce se desfaça:
Minha sanidade.

Jordana Braz

5 comentários:

Minero disse...

nossa...mto maneiro...eu to vivendo algo bm parecido com isso..ee no caso, axo q eu estou sendo o mau inquilino...=/

parabens, adorei o blog

Rosa Canela disse...

Jordana nem preciso dizer que sou fãzoca sua né ...??

Lindooo demais o poema de hoje

beijos estrelados

Rosa

egoscompostosanfipaticos disse...

Perfeita astúcia!
belo poema, bela poeta...
Estou adicionando seu blog à minha lista de "egos compostos" que visito sempre!

Abraços!

Marcos disse...

Bonito. Simplesmente.

Txatxismantiskiana disse...

putz, escrevi algo muito parecido
http://obloquio.blogspot.com/2009/01/carta-de-despejo.html
vi seu blog em uma comunidade de orkut, fucei e achei isso!
Céus ahuaha
beijooo