quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Rebanho

Alguém já viveu um encanto?
Alguém já se percebeu em espanto?
Alguém já se sentiu como uma ovelha sem rebanho?
Alguém... sou eu.

Ah desencanto...
Pensava em você como a eternidade
e à te sentir, tempestade.

Mas ao perceber aonde tudo levou
Nada me moveu, apenas o espanto
de voltar ao início sozinha, sem meu rebanho.

A solidão que mora em mim, sou eu.

Jordana braz

3 comentários:

Clarice,sempre Clarice. disse...

Eu vivi esse ano inteiro o que vc diz.
Mas aos pouquinhos vc se recompõe...aos poucos, as coisas voltam ao seu devido lugar.
Não posso falar tão bem, mas uma coisa é certa uma hora a solidão cede o lugar pra momentos maravilhosos. E você se encontra.

=* beijooo, belo texto.

Ah, lembre-se: Tudo passa, até uva passa. ashahahhaa ( ô bobagem! )

carolina abdalla disse...

já vivi isso, por pouco tempo, mas vivi. já tá tudo legal,hehe (:
"A solidão que mora em mim, sou eu." adorei essa frase

egoscompostosanfipaticos disse...

seus poemas têm um clímax no final...

Eu os leio sempre ansiosa por esse clímax, e nunca me decepciono!

Abraços!