domingo, 5 de outubro de 2008

A arte do desencanto.

Em todas as vezes que prometi não escrever mais,
Escrevi a mais.
Mesma coisa quanto ao sentimento que está doente.
Cedi por muito tempo como colchão, meu coração
E fiz como edredon e manta,
meus sentimentos mais ternos.
Para que todos os seus sonhos fossem bonitos
E ao despertar, você sempre deixou a cama improvisada, desfeita.
Cabendo sempre a mim arruma-la,
Para que seu sono da noite seguinte fosse tranquilo, o mais bonito,
Mesmo sabendo que a cama permaneceria desfeita
Durante o dia.

Acho que te deixei mal acostumado...
Enquanto vejo você montar uma outra história
Continuo contando a nossa, a mesma.
Enquanto vejo você em novo encanto
Me sobra apenas a arte do desencanto.
Enquanto a única coisa que desejo é uma atenção tola
Como um abraço ou uma rosa em 3D,
O que me dá, o que me sobra e o que me resta
Simplesmente é o aguarde, a indiferença.

É massante ser feita como café com leite!
Ser tratada como um talvez, deixado em banho-maria.
Você me faz sofrer não é pelo fim
Me fere por não me ver como me mostro, não dá valor.
Não entende que eu ainda não entendo
Que conquistar é a lei do universo
E que assim que consegue, acaba a graça.
Efeito Caça e caçador.

Faz bem ao ego, creio
Saber que há alguém que te ama
Mesmo esse alguém sendo a última linha
Do papel da sua lista de prioridades
E faz bem a pele, creio
Ver à tudo isso mantendo cara de paisagem...

Certo, você está.
Qualquer pessoa que conseguisse peças raras
Como Amor, Fidelidade, Lealdade e outras coisas
Em desuso contemporâneo, agiria assim:
Inclusive eu.

Já que é mais cômodo ser ídolo do que fã;
É mais fácil ser o idealizado do que o idealizador;
Sempre foi mais confortante ser o torturador do que o torturado...
É gostoso se acostumar com a facilidade.
Prático: cansou, joga fora.
Tipo roupa larga, sabe?
Usa a roupa larga, não pretende ajusta-la
E a veste mesmo sem gostar
Até ter cacife pra comprar roupa nova do tamanho ideal...

Mas não sou peça de roupa, Nunca fui!
Se te amo, é amo... amei seria uma mentira.
Ninguém deixa de amar, eu não deixo.
Única coisa que deixo é de ver você como único.

Te dou amor e recebo talvez
Te doei o melhor de mim
E não me arrependo, só acho que não houve zelo.
Cansa brincar de Bem-me-quer, mal-me-quer.


Jordana Braz

6 comentários:

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Valor monetário?

LADY DARK ANGEL disse...

isso e uma musica?
vc gosta d poemas?

GUILHERME PIÃO disse...

Gosto deste tipo de texto, simples e direto.
Abraços

rezzi disse...

eu adorei seu blog. os textos, as figuras.
cara, você é poeta!
sério mesmo.

ah! obrigada pelo comentário no 'liquidificador'.
troca de links?
:)

valeu.
rezzi.
http://liquidifi.blogspot.com/

Rosa Canela disse...

"Te dou amor e recebo talvez
Te doei o melhor de mim
E não me arrependo, só acho que não houve zelo.
Cansa brincar de Bem-me-quer, mal-me-quer"


Tenhu que dizer Jordana ...estou cada dia mais conficta de que poetas e poetisas como vc sabem muito certo o que vem na alma da gente ...

Lindoooo ....

beijos da sua fãzoca

Rosa

taty_zl disse...

... seu eu tivesse um diário, diria que vc o roubou e se inspirou nele para escrever...
a cada texto que leio, me vejo escancarada na tela do computador...