domingo, 19 de outubro de 2008

Conto do vigário

"Alguns amam com o coração, outros com o cérebro... talvez eu ame com o rim..."

Eu sinto um amor que não cabe em mim
Amor puro, aquele que é paciente, compreensivo, tolerante
Mas não burro e idiota.

Por mais que não queira saber, não nego a decepção que você me causou.
Nunca te pedi nada além do mínimo.
Cuidar para que eu não me magoasse,
Já que engoli muitos motivos a seco,
Só pra não te magoar.


Você me chama de louca, ciumenta... diz que preciso de psicólogo.
Que isso, você sabe do que eu precisava... não preciso mais.
Você simplesmente andou por cima, ignorou meus apelos
Por mais que fosse apenas um " Vamos conversar"...
O amor é tolerante, não burro.


Seu "depois eu..." me desgastou muito!
Ainda mais ao perceber que você não o faria, não é nem pela falta de tempo
Simplesmente um "não quero" camuflado de "não posso".
Eu nunca liguei pra dinheiro, pra distância, nem nada.

Segui minha vida trazendo você no peito e com todo o respeito.
Pra ouvir de você um " eu sei da minha importância... mas cada um cultiva do jeito que pode"
Isso foi um tiro certeiro,
Sem razão e no peito.

Não sondo sua vida, tenho a minha
Apenas me vi em outra
Mesmas cenas, mesma tática, mesmas desculpas
Tão parecida... que machuca, você me vê em outra
Não vou te procurar em outras pessoas
Quero outra história...

O valor que eu tenho, você não soube segurar.
E você sabe que por você, eu comeria arroz
Por mais que eu não goste
Mas só por estar comendo com você, bastava.

E não coloque a culpa em mim, você sabe muito bem
Que para eu agir assim, meu limite ultrapassou.
De todos os meus homens, futuros e passados
Você foi o que mais me magoou.
E com toda a certeza e força do mundo
Não me interessa as passadas e muito menos as futuras
Mas de todas, a que mais te amou, fui eu!



Jordana Braz

4 comentários:

Man disse...

Bonito o poema, vc que escreveu?

é engraçado como sempre agente acha que nenhuma pessoa vai amar a pessoa que agente ama do mesmo jeito.
Eu tive uma pessoa que perdi, e ainda não me conformei, não fiz nenhuma besteira, tipo, trair, não dar importancia, mas talvez a distância e a forma como as coisas estavam foi o motivo, ainda não me conformei, e ainda acho que ninguem vai ama-lá como eu amo!
Desculpe pelo desabafo, mas o poema de certa forma mecheu comigo.

Visite
http://brutalrock.blogspot.com/

Dário Souza disse...

Moh desabafo aew ne;Nunca tinha ouvido essa expressão de amor no pulmão.

Strike... The Son of Fury... disse...

um frase de um amigo meu define isso tudo muito bem: "Quem deseja ñ e desejado..."

Vc merece palmas na boa... fico muito bom gostei muito...

Ja tbm sofri por esse maldito amor... mais o unico jeito de sobreviver e sendo egoista... e se preversar para ñ cair na garra de leões e coisa do genero.

"Todos somos apenas sobreviventes da selva de pedra... aonde o dinheiro e o coração andam lado a lado..."

By Strike


ps: toda vez q posto pra vc tenho ideias boas... sempre q vc escre me inspira... tenho q tomar cuidado se ñ fodel... hauahuahuah

ps²: temos q beber em...^^V

carolina abdalla disse...

"Não sondo sua vida, tenho a minha
Apenas me vi em outra
Mesmas cenas, mesma tática, mesmas desculpas
Tão parecida... que machuca, você me vê em outra
Não vou te procurar em outras pessoas
Quero outra história..."

seria um desabafo? entretanto, lindo demias jordana e adorei apenas uma frase!