terça-feira, 21 de outubro de 2008

Carta á Eleonora

Algum lugar, 21 de outubro de 2008.

Eleonora,
Você é uma moça talentosa e sabe disso,
Seus olhos pequenos meio orientais fascinam,
Assim como suas artes...
Já tive muito prazer em ser apenas seu amigo.

Hoje não sei mais... Mesmo que você se pergunte,
Não importa quantos espelhos seu quarto possue,
O que você não vê, espelho nenhum lhe mostrará.
Apenas o tempo e quem sabe alguma lembrança minha
Ou de outras pessoas que você já fez chorar.

Tão linda e tão cruel...
Talvez eu tenha sim culpa, a verdade nunca foi absoluta
Mas tenho a consciência limpa de que nunca te enganei
Sempre te respeitei, um respeito que me deixou chato
Já que não tem tanto valor coisas que vem fáceis, na mão...
Um dos meus erros foi demonstrar demais.

Sou um estúpido aprendiz de poeta
Das cartas que lhe escrevi, enviei todas
E estive á espera das suas até ontem...
Quando olhei para minhas mãos vazias e senti que elas nunca foram escritas.

Como a vida tem graça, Eleonora...
Um dia você me pediu para que não sumisse da sua vida
Ri acreditando que era verdade... Mas como já escrevi:
A verdade nunca foi absoluta, pena!

Não terá mais cartas destinadas a você
Você nunca gostou delas mesmo...
Eu que teimoso sou e usei da única arte que sei fazer, escrever,
Pra demonstrar quanta força você movia em mim...

Então é isso,
Até um dia para não dizer Adeus...
(Amenizando a falta de perspectiva do fim...)

Hélio.


Jordana Braz

4 comentários:

bruno.ganem disse...

Huum... interessante :)

Boa sorte no seu blog..farei outras visitas por aqui!

Um abraço,

Bruno Ganem
www.ideiasdoganem.blogspot.com

Mone disse...

Belo texto!!! Belo blog!!!

http://monne.zip.net

carolina abdalla disse...

"Eu que teimoso sou e usei da única arte que sei fazer, escrever,
Pra demonstrar quanta força você movia em mim..."

pqp, me identifiquei totalmente com essa parte! muito lindo mesmo esse!

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Isso é mais do que amizade :)

Beijo meu ♥,

A Elite