domingo, 24 de agosto de 2008

Brado

O que houve com a batalha?
Não há mais exército em campo,
Armas recudadas e colocadas ao canto
Sobrando apenas rastros de pólvora e pranto.

Quanto engano foi seguido.
Quantos sonhos foram cortados sobre o limo
Mas limpos com a farsa da honra e do mérito,
Créditos financiados pelo sangue.

Sorte apenas a estendida na flâmula
Rasgos dados de presente aos pais
E um exército inteiro desfeito
Mesmo feito de um homem só.

Jordana Braz

5 comentários:

Brisa disse...

Eu fico me perguntando onde foi parar todos os nossos sonhos... Para que as batalhas se não há sonhos?
Abraços

Eurotica. disse...

meo se faz curso na área de humanas ne?
porque caso contrário seria desperdicio. Eu concordo com o comentário da brisa. O sonhos viraram pó.

obrigada pela visita lá no meu blog:) ele foi rencentemente atualizado


www.cinta-a-liga.blogspot.com

E é atualizado de Segunda à Quinta:) Espero por sua opnião:) Beijos

O Profeta disse...

Uma rosa breve
Uma hortênsia de alva cor
A terra molhada pelo sereno
Nos celeste paira um Açor

A madeira verde, a dança do fogo
O embalo do loureiro no vento, o alecrim
Um ribeiro de inquietas águas
Levam o perfume das mágoas em viagem sem fim


Convido-te a sentir a minha paleta de aromas


Mágico beijo

Rosa Canela disse...

Adorei o jeito como escreve ...
o Blog é assim uma dose quase diária de poesia e sentimento..

ótima tarde

Rosa

Gabriel disse...

uau!
=]
gostei!
xD