segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Conselho de Grilo

Na boca, a fala diz
O olho entrega, não condiz.
E cega!
Cortando o mal pelo nariz.

Não há quem minta
E pinta e borda, com minha tinta
E minha corda.
Nem come e corta a minha torta.

Se a mentira é prima rica,
A anedota te anota.
Perde o riso e pede o risco.
E risco mesmo quem à adota.

Da verdade, eu quero tudo.
Nunca fico sobre o muro.
Nulos são os sabem-tudo
E quem vive o falso mundo.

Eu não finjo, eu não minto.
Só omito o que não sinto.
Testo mesmo ao relento
Para ver o seu talento.

Pois quem mente, mentiroso!
Nunca teve o nome honroso.
Esculacho o seu trabalho
Só pra te quebrar o galho.

Sinceramente e sem repente:
Mentira, quem ouve, sente!
Quem mente não entende.
E isso, não há ninguém que argumente.

Jordana Braz

5 comentários:

roas77 disse...

Adorei ..

super bem escrito com rimas perfeitas .. adorei mesmo ...

Parabéns!!

abç..

http://www.analucianicolau.adv.br/

Eurotica. disse...

Jordana, parabéns, seu blog é belíssimo... sempre que puder vou dar uma passada aqui:)

blog atualizado:)

www.cinta-a-liga.blogspot.com

Eurotica. disse...

olha eu de novo aqui jordana:) kkkkkkkkk

Rodrigo disse...

Seus textos são muito bons e bem escritos *-*

Danilo Moreira disse...

Rimas e ritmo perfeito.

A mentira pode construir os mais belos palácios, porem do que adianta, se seus alicerces sao falsos a ponto de a qualquer momento desmoronar?

Abçs!!!! Obrigado pelo comentario no meu blog.