quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Timidez

Cá está: um rosto corado.
Resultado corado de algo falado.
Um rosto de frente ao inesperado,
Parado enquanto o pensar voa, alado.

Tanta timidez, assanha.
Um elogio sincero acanha.
Apanha o ego desprevenido
E perdido num espelho refletido.

Com timbre baixo se faz timidez.
Por medo de erro, talvez.
Pois timbres altos têm seus ouvintes
E a timidez tem no orgulho seu único ouvido, ouvinte.

Jordana Braz

3 comentários:

carolina abdalla disse...

nossa adorei isso aqui,gostei de como você escreve,muito legal.mas me diz,em que se basei pra fazê-los? ou simplesmente senta e escreve no que der na telha?
e dos que eu li,verso da saudade foi o meu favorito!
beijocas e passarei mais vezes aqui!

/ disse...

naum sei como tem tanta criaividade pra criar
esses textos llindos
parabens

Alexandre disse...

Mto bom esse texto. Timidez é um saco, talvez a pior coisa q existe. Mas é um processo reversível. Eu q o diga...
Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com